quinta-feira, abril 30, 2009

Dia D

Chegou o dia em que os produtores de arroz terão que deixar a terra indígena Raposa Serra, mais precisamente áreas de proteção onde está um dos berçários do nosso rio Branco.
Depois de arrasar ecossistemas importantes e ameaçar os rios que formam o nosso rio Branco, o principal arrozeiro, Paulo César Quartiero arrasou os bens de suas fazendas.
Está mais que comprovado com que tipo de gente Roraima estava acolhendo.

Esperança

Agora surge a esperança de que aquela área imprescindível para a sobrevivência de nossos principais mananciais de água potável e controle de nosso clima seja recuperada e curem as feridas abertas.
Os benefícios que o arroz trazia para Roraima, na terra indígena, não pagavam os prejuízos ambientais e climáticos irreparáveis para Roraima e da Amazônia.

Pedaladas e circo

Jessé Souza* Definitivamente, não dá mais para entender o Brasil depois das últimas decisões políticas e judiciais. A cassação da pre...