sexta-feira, maio 15, 2015

KANAIMÉ



CONFIRMADO

                                              Imagem: Divulgação

O que eu havia comentado no artigo “Velhas raposas”, nesta quinta-feira, ocorreu. O Tribunal de Justiça determinou a volta do pagamento das verbas da Câmara, entre elas a de gabinete. O percentual é definido constitucionalmente a partir dos valores da Câmara Federal, onde é o princípio de tudo e onde deveria haver uma mobilização para que se houvesse cortes nos percentuais de cima a baixo. E os cortes deveriam atingir também o próprio Judiciário e órgãos fiscalizadores, onde há valores que jamais foram questionados e que provavelmente não aparecerá ninguém com coragem para fazer questionamentos e greve de fome.


BURACO


Depois de meses de atraso, o Ministério Público decidiu ao propor ação contra o ex-governador Anchieta Junior (PSDB) e ex-gestores do Instituto de Terras de Roraima (Iteraima) por fraude em título de terra. Apenas uma pontinha do que está oculto no fundo da terra (para fazer uma analogia). Se escavar mais, vai aparecer muita gente graúda que também foi beneficiada pela maracutaia oficial. Duvido que cheguem a todos os nomes, pois tem de magistrado a delegado de polícia. O buraco é mais embaixo, mas não chegará lá, com certeza.


CURIOSIDADE


Se o internauta quiser pesquisar no Google “fraudes em titulação de terras”, curiosamente vai abrir um link com imagens do ex-governador Anchieta Junior e da fachada do Iteraima. Por que será, hein?



TURISMO

                                                                                                                             Imagem: Divulgação

Existe um órgão fiscalizador que está sendo chamado de “agência de turismo”, de tanta viagem para vários estados brasileiros e até mesmo para o exterior. O negócio é tão escancarado que o orçamento anual para passagens aéreas é de quase R$1 milhão. E o órgão com todo seu pessoal mal cabe em uma sala se reunirem todos os membros e servidores. E ninguém diz nada...

cri-cri-cri-cri-cri....
cri-cri-cri-cri-cri...
cri-cri-cri-cri-cri..

Ou não?

 

 

OVOS DE OURO

                                    Imagem: Divulgação


Há de se elogiar a assessoria do senador Romero Jucá (PMDB). De um feito qualquer o fato é ampliado com um estardalhaço tal a ponto de tudo virar festa. Tem um grupo que, a qualquer notícia sobre a MP 660, logo se transforma em procissão rumo ao Aeroporto Internacional de Boa Vista para receber o parlamentar, como se fazia em tempos dos “coronéis de barranco”, quando qualquer autoridade de meia-tigela enviada de Brasília para estas plagas era recebida com festa ao desembarcar no extinto Porto do Cimento. É o “marketing da galinha poedeira”: bota um ovo e anuncia como se tivesse produzido dezenas ou um de ouro.





Pedaladas e circo

Jessé Souza* Definitivamente, não dá mais para entender o Brasil depois das últimas decisões políticas e judiciais. A cassação da pre...